Congresso Brasileiro do Sono

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Treinamento físico e sono em tempos de pandemia: estudo de caso de um atleta em treinamento físico remoto

Introdução

A pandemia da COVID-19 levou a mudanças drásticas no dia-a-dia das pessoas, no entanto para os atletas essas mudanças foram ainda mais radicais, com a proibição de treinos e competições houve a interrupção de periodização, por consequência os atletas ficaram sem ter onde e como treinar, comprometendo suas capacidades físicas e podendo até mesmo interferir e outros aspectos como: alterações no humor, alimentação e sono. Assim os atletas de alto rendimento esportivo foram obrigados a alterarem tanto a periodização como a maneira de realizar e praticar os treinos.

Objetivo

Assim, o objetivo deste estudo foi de analisar o sono de um atleta de basquete em cadeira de rodas durante a pandemia em treinamento físico remoto.

Métodos

O atleta usou o actígrafo por 10 dias em conjunto com uso do diário de sono, sendo que as sessões de treinamento estavam sendo realizados de maneira remota através de sessões via google meets. Todos os treinos foram realizados no período da noite, entre 19:00 e 21:00, a intensidade dos treinamentos era de baixa a moderada, com o intuito de manter o atleta ativo e fazer com que a preparação física não fosse completamente interrompida no período de restrição da pandemia. Durante este período avaliado, o atleta treinou 6 dias e descansou 4 dias.

Resultados

Os resultados demonstraram em dias de treino o atleta apresentou um Tempo Total de Sono (TTS) de 378 minutos (6:15h), Eficiência do Sono (ES) de 83,41%, Latência do Sono (LS) de 37 minutos e 75 minutos de Período Acordado após o Início do Sono (WASO). Já durante o fim de semana o atleta apresentou um aumento no TTS de 92 minutos (7:40h), no entanto uma menor ES (82,33%), menor LS (33 minutos) e, aumento no WASO (94 minutos). Este atleta também mostrou diferença em sua rotina de higiene do sono, em dias de treino ele se deitou em média as 23:29 e acordou as 7:33, enquanto em dias de descanso as se deitou as 22:51 e acordou as 8:18.

Conclusões

Assim podemos sugerir com esses resultados que a relação treinamento físico e sono deste atleta se mostraram eficientes em manter um padrão de ciclo vigília-sono tanto em dias de treino como de descanso, no entanto os treinamentos realizados no período noturno podem indicar um atraso nos horários de deitar e dormir deste atleta.

Palavras-chave

Basquete em cadeira de rodas, Sono, Pandemia, Treinamento

Área

Relato de Caso

Instituições

Universidade Estadual de Campinas - São Paulo - Brasil, Universidade Federal de Minas Gerais - Minas Gerais - Brasil

Autores

Victor Sanz-Milone, Marco Túlio De Mello, Luciano Mercadante, Fernanda Narciso, Andressa Silva, Andrea Esteves